A Startup de $100 e minha nova vida

Esse post reinaugura a minha sessão de reviews e escolhi o livro “Startup de $100” do Chris Guillebeau porque foi o livro sobre empreendedorismo que mais gostei de ler recentemente. Gostei dele porque ele fala sobre um tipo de empreendedorismo que eu conhecia pouco e que tem tudo a ver com meu estilo de vida atual.

Tempos atrás, enquanto trabalhava na minha empresa, eu lia e me informava sobre tudo no mundo das Startups e me tornei um “startupeiro”. Startupeiro é aquele cara que sabe sobre todas as novas startups, investimentos, aquisições, IPOs e fala sobre aceleração, anjos, seeds, rounds, etc. Participa de editais de governos, eventos de pitches, etc. Mas… um startupeiro jamais cria um negócio viável de fato porque ele fica distraído com esse monte de coisa e não foca na criação de seu negócio. Fiquei nessa levada por uns 3 anos e notei que minha empresa nunca desenvolveu nada de grande valor. Só andei de lado.

No final de 2011 notei que minha família, que sempre me apoiou, começou a se cansar desse ritmo de vida que eu estava levando: ausente, estressado, sem grana e sem perspectiva de que as coisas melhorariam. Ao mesmo tempo o mercado de trabalho para desenvolvedores estava bombando. Empregos bons, bons salários, falta de mão de obra com minhas qualificações, etc.

Via a minha família no aperto e meus filhos sentindo a ausência do pai. Eu tinha que decidir: insistir com a empresa, manter a empresa como atividade paralela, ou ficar apenas como empregado?

Optei pelo canal intermediário e isso funcionou (mal e porcamente) por quase um ano até eu sofrer uma queda de moto. O acidente fez com que eu começasse a valorizar ainda mais a minha família e a minha saúde. Por conta disso iniciei um plano de desaceleração que incluia: conseguir um bom emprego (check), fechar todos os meus negócios (doing) e terminar meu mandato na APyB (doing). Ficaria apenas com meu emprego e alguns hobbies.

A Startup de $100

capa-livro-startup-de-100-dolaresVocê deve estar pensando: “tá, mas vc decide deixar de empreender e compra um livro sobre empreendedorismo?”.

Foi o acaso que me trouxe esse livro. Eu havia viajado a trabalho e esqueci de colocar alguma coisa para ler em minha bagagem. Na livraria do aeroporto eu vi esse livro em promoção e resolvi comprar para ler. Alguns amigos haviam comentado que o livro era legalzinho então não tinha muito risco de desperdiçar o dinheiro.

Comecei a ler no aeroporto mesmo. Terminei de ler em 3 dias.

Esse livro me mostrou um novo jeito de se pensar sobre empreendedorismo que parece funcionar muito bem com meu novo estilo de vida. Um tipo de negócio que não precisa ser grande, não precisa de investimento externo (bootstraping), não precisa ocupar muito tempo da sua vida e ainda pode ser lucrativo.

O autor mostra, na prática, as etapas de planejamento e criação desse tipo de negócios e ilustra essas etapas com casos reais. Pessoas que começaram suas empresas com muito pouco e sem muitas pretensões e, hoje, conseguem trabalhar com o que gostam.

A leitura é muito leve, agradável e, por conta da abordagem prática usada, muito útil. O meu está cheio de marcadores de páginas com trechos interessantes.

Os capítulos falam sobre tipos de negócios, o tipo de investimento que você precisa fazer, que tipo de retorno você pode esperar, como planejar e iniciar as atividades, etc. Um dos capítulos fala até sobre franquias (ele diz que franquia é um emprego que você compra).

A tradução não é a melhor que já vi mas não compromete a leitura. Quem consegue ler em inglês pode aproveitar o preço mais baixo dos ebooks na Amazon.

The $100 Startup: Reinvent the Way You Make a Living, Do What You Love, and Create a New Future

A Startup de $100: Abra o negócio dos seus sonhos e reinvente sua forma de ganhar a vida.

Gostou desse artigo?

Assine a minha newsletter quinzenal e receba artigos sobre Programação, Python, Django, carreira e empreendedorismo.

[mc4wp_form]

Publicado por

Osvaldo Santana

Desenvolvedor Python e Django, Empreendedor, dono de uma motocicleta esportiva, hobbysta de eletrônica, fã de automobilismo e corinthiano