Valor de uma idéia não executada: R$ 0,00

Desde que saí do melhor-emprego-do-brasil lá no INdT, estou me aventurando no mundo do empreendedorismo.

A minha empresa é a Triveos e o meu plano, ao criá-la era o de prestar serviços e consultoria em desenvolvimento de software e com o dinheiro obtido com essa atividade investir no desenvolvimento de uma Webapp para gestão de micro e pequenas empresas.

Mas, como já diz o chavão, empreender não é fácil. E não digo que no Brasil seja muito mais difícil como dizem (isso vale outro post).

Mas aos trancos-e-barrancos a empresa está funcionando, o projeto em questão foi aprovado no programa PRIME da FINEP e até estamos trabalhando em um projeto-rápido, em paralelo, para garantir uma fonte de receita rápida e garantida que nos ajude no desenvolvimento do projeto principal.

Bom… agora que estamos todos ‘contextualizados’, vamos para o assunto principal.

No dia-a-dia da Triveos nós costumamos ter “idéias” interessantes para novos projetos. Eu anoto rapidamente essas idéias em fichas pautadas e as deposito no arquivo “Maybe Someday” de projetos.

Uns meses atrás eu tive a idéia de um produto relativamente simples de ser implementado e que permitiria a empresas construirem um ‘workflow’ para operacionalizar as suas relações com as redes sociais (no caso o Twitter).

Uma empresa poderia, então, ter várias pessoas trabalhando em nome da empresa nas redes sociais mas tudo ainda poderia ser ‘revisado’ antes de ir ao ar.

Assim… fazer um produto-mínimo-viável disso, em Python/Django e rodando no GAE não levaria mais do que 2 semanas de um desenvolvedor.

Uma idéia boa (eu acho), simples (como são as melhores idéias) e fácil de ser implementada. Uma idéia dessas parece valiosa, não? Só parece.

Ter tido essa idéia e anotá-la não ajudou ninguém nem rendeu nada (dinheiro, fama, sucesso, mulheres, etc).

Se eu tivesse trabalhado nessa idéia, um pouquinho todo dia, e colocasse ela no ar eu teria ganhado ao menos uma coisa: experiência, aprendizado. Também poderia ajudar empresas que tem esse tipo de problema e, com isso, faturar um cascalho.

E com o tempo foi isso o que aconteceu. Mas não comigo. O pessoal da Kingo Labs criou o http://trmanager.com.br que, na essência, faz a mesma coisa que pensei quando tive a tal idéia (mais funcionalidades extras).

A Kingo Labs “roubou” a minha idéia? No way. A única ‘testemunha’ que tenho é o meu sócio na Triveos. Só com ele eu falei sobre essa idéia.

Isso também pode ser usado pra afirmar que ter idéia é “fácil pra caramba” (parafraseando a propaganda da Embratel). Aliás, quando você está trabalhando num projeto, as idéias são tantas que chegam a atrapalhar o trabalho.

O valor de uma idéia é, então, obtido com a fórmula:

Valor = Idéia x Execução1

Se entre os programadores (do mundo Linux) a frase “Talk is cheap, show me the code” faz sentido, no mundo das idéias ela também faz.

1 Já vi a palavra Inovação no lugar de Valor, mas a palavra Inovação anda muito desgastada ultimamente.

Publicado por

Osvaldo Santana

Desenvolvedor Python e Django, Empreendedor, dono de uma motocicleta esportiva, hobbysta de eletrônica, fã de automobilismo e corinthiano