A GUI está ‘morta’

Sempre que escrevo sobre algum assunto ‘polêmico’ tenho uma certa tendência a escrever ‘pisando em ovos’. Isso faz com que o que eu escreva fique complicado de se ler. Espero que isso não ocorra agora mas, caso ocorra, peço um pouquinho de paciência para passar pelo texto todo.

O título deste post é um exercício de futurologia. Se eu fosse um milionário eu diria que isso é uma profecia, mas como sou um ‘mortal-comum-ligeiramente-devedor’ digamos que essa história é apenas uma impressão que eu tenho que faz com que minha intuição me avise: a GUI está caindo aos poucos em desuso.

Quem vai ser o algoz das Interfaces Gráficas? A Web.

“Mas Osvaldo, a Web já está aí a um tempão e as GUIs ainda existem. Além disso essa previsão de que a Web iria matar as GUIs já vêm de longa data…”. Ok. Devo admitir que isso é parcialmente certo mas recentemente algumas coisas apareceram na Web que abalaram a crença dos que acreditam nas GUIs: Gmail, Google Maps, Google Suggest e Web Accelerator. O que esses caras tem em comum? Eles surgiram no Google e, com excessão ao Web Accelerator, usam a idéia da tecnologia Ajax.

Esses caras, junto com alguns outros sites espalhados pela Web em páginas que falam sobre Javascript, DHTML, XHTML, DOM, etc, etc e etc, estão mostrando que os navegadores hoje podem fazer coisas que ninguém imaginava a alguns pouquíssimos anos atrás.

Para apimentar ainda mais esta história, recentemente o Google contratou desenvolvedores do Mozilla e do Internet Explorer. Meu chute? Eles vão desenvolver uma suite Office inteira para ser usada via navegador e disponibilizar discos remotos para podermos gravar os nossos arquivos. Além, é claro, de indexá-los para facilitar a nossa busca e para que facilmente anexemos documentos da Rede em nossos trabalhos (essa, sem dúvida, é de fazer até os não-conspiracionistas tremerem, mas… 🙂 ). Neste esquema também teremos mais ASPs (Application Service Providers) pipocando por aí.

A facilidade com que se distribui atualizações de software, o alcance das soluções vendidas, o custo operacional menor (suporte), outras formas de receita (publicidade), e mais outras coisas que certamente os mais espertos já pensaram fazem com que as soluções Web sejam muito mais vantajosas que as atuais aplicações GUI. Com a computação pessoal permitindo a navegação em qualquer lugar em que você esteja e suas aplicações rodando remotamente em algum lugar da Web darão total liberdade a qualquer tecnomaníaco (como eu).

Do lado dos desenvolvedores cada dia mais o desenvolvimento de aplicações Web tem se tornado mais fácil (tem casos até em que desenvolver para Web é mais fácil do que desenvolver software ‘tradicional’). Para confirmar o que eu digo é só ver o Zope, e o Plone com ferramentas como o ArchGenXML. Eu vi uma aplicação sendo desenvolvida em velocidade espantosa em uma apresentação do Fabiano “xiru” em nosso evento em Abril.

Quem serão os responsáveis pela perpetuação das GUIs? Aplicações gráficas mais específicas (CADs, DTPs, etc) e Jogos de computador que exigem alta performance dos equipamentos.

Por isso você, desenvolvedor brasileiro, tente se antecipar à esse movimento e comece a trilhar os caminhos do desenvolvimento Web. Só assim poderemos deixar para trás esse ‘mundinho antiquado’* dos Delphis, Kylixes e Visuais Basics e entrar pra valer no futuro tecnológico mundial.

* Sei que os Delphis, Kylixes e Visuais Basics ainda solucionam vários problemas de empresas brasileiras e que o investimento para se reescrever as centenas de milhões de linhas de códigos dessas plataformas para usar tecnologias mais novas é alto demais. Mas nunca devemos esquecer que no nosso mundo tecnologia ‘velha’ custa caro também e um investimento maior hoje poupará muito dinheiro futuro.

Publicado por

Osvaldo Santana

Desenvolvedor Python e Django, Empreendedor, dono de uma motocicleta esportiva, hobbysta de eletrônica, fã de automobilismo e corinthiano